Freguesia de

S. Tiago dos Velhos

Forte da Carvalha

As Linhas de Torres Vedras, ou simplesmente Linhas de Torres, são o conjunto de fortificações e outros trabalhos defensivos situados na península de Lisboa. Foram concebidas no contexto da Guerra Peninsular com a finalidade de impedir o exército de Napoleão de invadir e atingir a capital do Reino de Portugal ou, em caso de derrota, permitir o embarque, em segurança, do Exército Britânico em retirada.

A ordem para a sua construção foi dada em Outubro de 1809 por Arthur Wellesley, então comandante do exército anglo-luso. Na Terceira Invasão Francesa, as Linhas de Torres Vedras impediram o exército de André Masséna de atingir Lisboa e acabaram por provocar a sua retirada de Portugal.

Actualmente, e no âmbito do projecto ROTA HISTÓRICA DAS LINHAS DE TORRES, financiado pela Islândia, Liechtenstein e Noruega através do Mecanismo Financeiro do Espaço Económico Europeu, foi possivel salvaguar, recuper e valorizar as Linhas de Torres. Na nossa freguesia fica situado o Forte da Carvalha – Obra Militar n.º 10:

forte da carvalha

Em termos defensivos, as canhoneiras possuíam um piso lajeado, sendo o terreno previamente preparado com enchimento de pedras ligado com argamassa. Apresentava igualmente Través construído em terra, que servia de protecção contra fogo inimigo.

Localização: Alto da Carvalha, Freguesia de S. Tiago dos Velhos

Altitude: 394 m

Latitude: N 38º 58′ 22”

Longitude: W 9º 05′ 13”

Estruturas:

  • Paiol
  • 4 Canhoneiras equipadas com 2 peças de calibre 9 e 2 peça de calibre 12

 

Capacidade: 400 soldados

Moinhos de Vento

Pela freguesia existem, ainda hoje, alguns exemplares de moinhos de vento que podemos ver em funcionamento. Estes moinhos fazem parte integrante da paisagem e do imaginário desta freguesia.

Cruzeiros

Na paisagem da freguesia é ainda visível alguns cruzeiros dispersos em S. Tiago dos Velhos e em Carvalha, ficando algumas fotografias: